15 anos de bons resultados

16/02/2016

     
Como 13º provedor da Santa Casa BH desde o dia 30 de maio de 2000, Saulo Coelho foi novamente eleito pelo Conselho da Irmandade para cumprir seu 6º triênio como principal administrador da instituição.
 
Durante os últimos 15 anos, mudanças operacionais e estratégicas, realizadas nas 6 unidades do Grupo Santa Casa BH, inauguraram um novo capítulo na história da instituição. Um conjunto de decisões administrativas, políticas e de gestão, implantado a partir de 2000 - somado à criação em 2003 do Comitê Executivo Operacional, baseado em uma administração gerencial focada em resultados - transformaram o Grupo Santa Casa BH no maior grupo hospitalar de Minas Gerais: dirigentes, gestores corporativos e funcionários se uniram em um conjunto de esforços e ações para garantir o aumento da capacidade produtiva e a ampliação dos serviços prestados.
 
Exemplos desses avanços não faltam: em 2001, a Santa Casa BH contava com 571 leitos destinados a pacientes do Sistema Único de Saúde. No final de 2014, o hospital completou 1093 leitos SUS. As unidades de tratamento intensivo, que em 1997 somavam apenas 20 leitos, contam atualmente com 170 leitos de alto padrão.
 
Neste  período, o número de partos mensais realizados na Maternidade Hilda Brandão saltou de 220 para 300, em média. Esse crescimento foi impulsionado pela execução do projeto ‘Mil Leitos SUS’, marco representativo da gestão de Saulo Coelho.
 
Realizado em parceria com o Ministério da Saúde e os governos estadual e municipal, o projeto se tornou referência nacional e inspirou outras unidades de saúde por reunir, em um único hospital, o maior número de leitos destinados exclusivamente a pacientes da rede pública de saúde.
 
Para o provedor Saulo Coelho, a execução do projeto trouxe decisivos avanços no processo de evolução do Grupo Santa Casa BH: “sua realização foi possível graças à determinação dos gestores corporativos da instituição e do apoio decisivo do poder público. Juntos conseguimos o financiamento necessário para transformar a Santa Casa BH em uma unidade 100% SUS, com excelência nos serviços prestados, modernos equipamentos e alto padrão de hotelaria. Em julho de 2011, entregamos à população o milésimo leito. No entanto, esse trabalho continua ininterruptamente com obras de melhoria e projetos de revitalização de enfermarias”.
 
Para tornar viável a administração do hospital, outras formas de contratualização - que melhoraram a remuneração de procedimentos e serviços - foram acordadas ao longo dos anos entre o Comitê Executivo e o poder público.
 
Outra ação marcante da gestão Saulo Coelho foi a inauguração do Centro de Especialidades Médicas SCBH, efetivada através de uma parceria formada pelo GSCBH com o Governo Federal, Governo Estadual e a Prefeitura de Belo Horizonte.
 
Juntos, concluíram as obras (interrompidas durante anos) do prédio originalmente projetado para abrigar o Cardiominas e inauguraram em novembro de 2007 um condomínio para abrigar 3 unidades de saúde distintas: CEM SCBH, CEM Ipsemg e UPA Centro-Sul.
 
A participação de Saulo Coelho nas negociações foi fundamental para ativação do condomínio: “o prédio ficou abandonado por 17 anos e, após a realização de uma pesquisa, foi apontada a necessidade de se construir um Centro de Especialidades Médicas em Belo Horizonte. Com o apoio da Prefeitura Municipal, fomos a Brasília onde conseguimos do Ministério da Saúde o aporte financeiro para a conclusão das obras. Na atual rede de atendimento aos usuários do SUS, na Capital, o CEM da Santa Casa BH é imprescindível. Atualmente, a unidade realiza mensalmente cerca de 54 mil atendimentos ambulatoriais”.
 
O modelo de gestão adotado também foi primordial para o crescimento do GSCBH. Para reconquistar a estabilidade e a capacidade de investimento da instituição, o Comitê Executivo (formado pelos superintendentes Porfírio Andrade, Guilherme Riccio e Gonçalo Barbosa) adotou um plano de soerguimento de grande envergadura que abrangeu o equacionamento de passivos bancários e trabalhistas e de dívidas com fornecedores.
 
O ano de 2014, em especial, foi marcado por conquistas históricas na área financeira. A SCBH participou ativamente da regulamentação do programa PROSUS do Governo Federal e foi o primeiro hospital do País a aderi-lo oficialmente. Neste processo, a dívida tributária foi quitada e a Certidão Negativa de Débito, depois de muitos anos, foi expedida para a instituição.
 
De posse da CND, a Santa Casa BH passou a ter acesso a diversos projetos governamentais de remuneração, custeio na área da saúde e de renúncia fiscal, além de emendas parlamentares, créditos sociais, convênios e contratos com as esferas públicas.
 
Para fortalecer a interação entre gestores, corpo clínico e funcionários, foram promovidosao longo desses 15 anos diversos encontros para alinhamento estratégico com o objetivo de garantir o comprometimento institucional, o atendimento humanizado e especializado, a gestão ativa e a transparência dos processos.
 
Neste sentido, foram implantados sistemas de Gestão da Qualidade - para qualificar os serviços e efetivar programas que direcionem as unidades de negócio do Grupo Santa Casa BH à qualidade total - e de Gestão de Governança e Informação - para otimizar resultados e dar maior agilidade aos processos, além de permitir melhor alinhamento de informações e eficácia nos serviços prestados.
 
Na área de Recursos Humanos, diversas ações foram tomadas para valorização de funcionários - atualmente cerca de 5 mil. Ao longo dos anos, o Comitê Executivo estabeleceu políticas, benefícios e acordos salariais diferenciados na área de saúde, em Belo Horizonte.
 
Outra importante iniciativa para garantir a excelência e a especialização de seus profissionais foi a introdução de programas de incentivo à qualificação (MBA, Pós-Graduar, Pra-Graduar), além da educação permanente e continuada promovida através de congressos, seminários, reuniões e capacitação de funcionários, especializandos, residentes e corpo clínico.
 
Inaugurado em 2001, o Instituto de Ensino e Pesquisa SCBH veio complementar o trabalho já desenvolvido pelo ‘Programa de Pós-graduação da Santa Casa BH’. Consolidando o processo de modernização dos serviços oferecidos, também foram desenvolvidas, na atual gestão, regras para regulamentação de pesquisas que favoreceram o trabalho do Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos.
 
Outra ação de destaque da administração de Saulo Coelho foi a inauguração, em abril de 2011, da sede fixa da Associação de Voluntárias da Santa Casa (AVOSC), na rua Álvares Maciel. Segundo o provedor, a cessão da sede (realizada em comodato) é um reconhecimento do Grupo Santa Casa BH ao trabalho que a AVOSC desenvolve com os pacientes do hospital: “disponibilizamosum endereço fixo dentro do quarteirão da Santa Casa, com porta aberta para a rua, para que as voluntárias pudessem manter as atividades de um bazar”.
 
Para um futuro próximo, a Provedoria da instituição ressalta dois projetos especiais: a implantação do Memorial Santa Casa BH na antiga Maternidade Hilda Brandão, um dos mais importantes prédios históricos de Belo Horizonte (onde atualmente já estão instaladas a Provedoria e a Superintendência) e a implantação de uma unidade de saúde no prédio da antiga Fundação Navantino Alves, na av. Alfredo Balena, que passou a fazer parte do patrimônio do Grupo em 2013.
 
Ao fazer um balanço desses 15 anos de efetivo trabalho em benefício do povo mineiro, Saulo Coelho assegura que os desafios permanecem: “a soma dos esforços despendidos por todos nós, nestes anos, transformou a Santa Casa em uma instituição melhor, mas ainda há muito a ser feito e esta é a minha principal motivação. Continuaremos empenhados na revitalização da estrutura do hospital e das demais unidades do Grupo”.
 
LINHA DO TEMPO
 
2000 - Saulo Coelho toma posse como provedor da Santa Casa BH em 30 de maio de 2000.
 
2001 - Criação do Instituto de Ensino e Pesquisa SCBH, incorporando a Escola Técnica da Santa Casa BH, fundada em 1992. Neste mesmo ano, a Funerária Santa Casa BH iniciou um amplo programa de modernização operacional.
 
2002 - Ao completar 90 anos no mês de março, o Instituto Geriátrico Afonso Pena passou por uma grande revitalização. Em outubro, foi inaugurado no 5º andar do Hospital São Lucas o auditório Juscelino Kubitschek.
 
2003 - Criação do Comitê Executivo Operacional, com nomeação do superintendente-geral do GSCBH, dr. Porfírio Andrade, do superintendente de Assistência à Saúde, dr. Guilherme Riccio, e do superintendente de Planejamento, Finanças e Recursos Humanos, Gonçalo Barbosa.
 
2004 - Inauguração do Centro de Nefrologia Celso Mello de Azevedo. O hospital São Lucas, após passar por significativas mudanças estruturais, inaugurou o ‘Centro Cirúrgico Irmã Angilberga’. Certificação da Santa Casa BH como ‘Hospital de Ensino’.
 
2005 - Criação do Núcleo de Transplante Renal na Santa Casa BH. Lançamento do Programa Humaniza SUS.
 
2006 - Inauguração da nova ‘Maternidade Hilda Brandão’ no 11º andar do hospital.
 
2007 - Inaugurado, em novembro, o Centro de Especialidades Médicas Santa Casa BH.
 
2008 - Inauguração da Unidade de Cuidados Intermediários no São Lucas e, em setembro, da Unidade de Internação Cybele Pinto Coelho, no 12º andar da SCBH.
 
2009 - Criação do Coral Santa Casa BH. Em dezembro, foi firmada parceria com o poder público para realização do projeto ‘Mil Leitos SUS’.
 
2010 - Entrega das novas instalações da UTI Infantil da SCBH. Em março, inaugurados novos leitos de UTI Adulto. Em outubro, o IEP SCBH passou a ofertar cursos de pós-gradução lato sensu. Inauguração, também em outubro, do Centro de Referência de Catarata e Glaucoma da Clínica de Olhos Santa Casa BH e, em dezembro, da UTI do 4º andar.
 
2011 - Inauguração da sede da Associação das Voluntárias da Santa Casa, do Centro de Admissão e Diagnóstico Inicial (CADI) e da Unidade de Resgate Coronariano do GSCBH. Lançados os novos planos de assistência da Funerária SCBH. Ano de maior produtividade do projeto ‘Mil Leitos SUS’: em julho, foi entregue à população o milésimo leito com a presença do então ministro da saúde, Alexandre Padilha. Em novembro, foi inaugurada a ‘UTI Pós-Operatória Jenny de Andrade Faria’ no 2º andar do hospital, com a disponibilização de 40 novos leitos à rede pública de saúde. IEP SCBH inicia programa de residência e especialização médica.
 
2012 - Inauguração da ‘Unidade de Cuidados Prolongados Dra. Maria Nunes Álvares’ (13º andar), da Unidade de Oncologia Pediátrica dr. Eduardo Nascimento (3º andar) e da UTI Clínica dr. Aloysio de Andrade Faria (10º andar). Criação do setor de Captação de Recursos da Santa Casa BH. No final de 2012, a SCBH passou a ofertar 1.085 leitos de alto padrão à rede pública de saúde. Início da restauração do antigo prédio da Maternidade Hilda Brandão para abrigar setores administrativos do GSCBH.
 
2013 - Incorporação do imóvel da Fundação Navantino Alves, na av. Alfredo Balena. Inauguração do refeitório para médicos residentes e multidisciplinares da SCBH (13º andar). Revitalização da fachada do Hospital São Lucas.
 
2014 - Adesão ao PROSUS e conquista da Certidão Negativa de Débito da SCBH. Inauguração da Unidade Pediátrica do São Lucas e do Laboratório de Análises Clínicas Santa Casa BH. Ativação de 30 novos leitos de UTI.
 
Na inauguração da ‘UTI Pós-Operatória Jenny de Andrade Faria’, em 2011, o
dr. Gláucio Nangino, dr. Porfírio Andrade, dr. Aloysio Faria, dr. Guilherme Riccio
e o provedor Saulo Coelho