8ª Conferência Internacional HLA-G

29/07/2019

     
As pesquisadoras na companhia dos doutores Philippe Moreau e Edgardo Carosella, do Hospital Saint-Louis, em Paris.

A Santa Casa BH Ensino e Pesquisa marcou presença na 8th International Conference HLA-G, realizada em Paris, entre 8 e 10/7. A docente pesquisadora, Dra. Renata Toscano Simões, e as doutorandas Nathália Gomes e Kênia Magalhães, apresentaram pesquisas desenvolvidas no Laboratório de Biologia Molecular e Biomarcadores, do curso de Mestrado e Doutorado. As pesquisas apresentadas foram em câncer, doença autoimune (Neuromielite Optica) e hanseníase (pesquisa em colaboração com a Dra. Isabela Wastowski, da Universidade Estadual de Goiás).

“HLA-G é uma proteína com função inibidora das células de defesa do corpo. Ela é muito importante na gravidez, pois protege o feto (que carrega metade da carga genética do pai) das células de defesa maternas, deixando o feto se desenvolver normalmente. Mulheres que não produzem essa proteína, tem abortos de repetição, pois as células de defesa vão reconhecer o feto como algo estranho ao organismo da mãe. Por outro lado, no câncer, as células tumorais que expressam essa molécula também ficam ‘invisíveis’ ao sistema de defesa do organismo e com isso as células malignas podem crescer e câncer se desenvolver e atingir estágios mais graves. Ou seja, o HLA-G pode ter tanto um papel bom, quanto ruim. Depende do contexto”, explica a Dra. Renata Simões.

Colaboração Brasil/França

No evento, as pesquisadoras da Santa Casa BH se encontraram com pesquisadores franceses Edgardo Carosella - diretor do Centro de Pesquisas em Hemato-Imunologia do Hospital Saint-Louis/CEA/Paris e Philippe Moreau - chefe do grupo de pesquisa sobre a Regulação da Expressão de Genes e Resposta Imune da mesma instituição. “Foi sob a supervisão do Dr. Philippe Moreau que eu fiz um doutorado sanduíche e o pós-doutorado no Hospital Saint-Louis”, explica Dra. Renata, que reforça a importância da Conferência: “foi uma experiência excelente, já que o grupo que estuda HLA-G é relativamente pequeno. Então, o Congresso foi uma oportunidade de nos encontrarmos com os grandes pesquisadores da área. Existe uma troca de experiências, que nos possibilita novas perspectivas, inclusive de colaboração”.

Dra. Renata Simões também se encontrou com o Dr. Eduardo Donadi, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto/USP. “Ele foi meu co-orientador no doutorado e meu supervisor Brasileiro durante meu pós-doutorado na França. As duas vezes que fui para o exterior foi com bolsa de pesquisa concedida pela CAPES via FMRP/USP. Com o apoio do Dr. Donadi que eu pude voltar pra fazer o pós-doc em Paris”, destaca.