A importância da amamentação

21/02/2014

     
Dados do Unicef demonstram que o aleitamento materno durante os 6 primeiros meses de vida pode evitar 1,3 milhão de mortes de crianças menores de 5 anos de idade nos países em desenvolvimento. O leite materno é indicado como alimento exclusivo no primeiro semestre de vida do bebê. A amamentação, além de promover um contato mais íntimo entre mãe e filho, é um ato que contribui para a recuperação da parturiente.
 
A partir dos 6 meses, a alimentação pode ser complementada com papinhas, pois a criança necessita de uma carga maior de nutrientes. A recomendação da Organização Mundial de Saúde é de que a mãe permaneça amamentando durante 2 anos, contribuindo para o crescimento do bebê e resguardando-o de várias doenças. De acordo com a Coordenadora de Enfermagem da Maternidade Hilda Brandão da Santa Casa BH, Liliane Rodrigues, “o leite contém imunoglobulinas que funcionam como vacinas para o bebê. Quando bem amamentado, há menos chance de ter alergias, rinites, infecções no ouvido ou inflamações de garganta. É preciso ressaltar também que a amamentação é um ótimo exercício para os músculos da face, fazendo com que o bebê fique com um rosto mais simétrico. Uma sucção bem executada é sinônimo de estabilidade ou de melhoria fonoaudióloga da criança”.
 
E há outros benefícios: ao amamentar, a mãe produz um hormônio chamado ocitocina, responsável pelo estreitamento do vínculo afetivo entre mãe e filho, que contribui na redução do volume do útero e possibilita reabilitação e retorno ao peso ideal de forma mais rápida. Mas existem fatores que influenciam na qualidade do aleitamento, como questões emocionais, o tipo do parto e a alimentação. Comer bem e se hidratar é fundamental. Dessa forma, a recuperação será mais adequada, inclusive na questão estética: “quanto às mamas, existe o impacto do tempo, normal para toda mulher. Mas, de forma alguma, a amamentação está ligada à perda da estética da mama”, completou Liliane Rodrigues.
 
DISQUE AMAMENTAÇÃO
 
A Maternidade Hilda Brandão, que já foi agraciada com o título da “Iniciativa Hospital Amigo da Criança” - idealizada pela OMS e pelo Unicef para promover, proteger e apoiar o aleitamento materno - dispõe de um serviço telefônico para tirar dúvidas e fornecer orientações às mães e seus familiares: Disque Amamentação Santa Casa BH - (31) 3238.8941 - atendimento de 8 às 18 horas.
 
DICAS
 
  • Quando a mãe não puder amamentar, o leite pode ser extraído manualmente e conservado. Em embalagem adequada, na geladeira, pode ficar o dia todo e, no congelador, tem durabilidade de até 15 dias.
  • É contra-indicado o uso de bicos e chupetas que podem confundir a sucção e provocar recusa do peito.
  • A mãe deve troc ar o peito apenas quando o prim eiro estiver vazio.
  • O leite oferecido à criança deve estar em temperatura ambiente ou próximo à temperatura corporal, cerca de 36ºC.
  • O bebê e a mãe devem ficar posicionados de forma confortável. Considera-se qualquer variação de posição possível, desde que o bebê não esteja sugando ar e esteja sendosaciado. 
  • A amamentação deve ser feita sem hora marcada, oferecendo o peito apenas quando o filho sentir vontade.
  • O apoio emocional e o in centivo da família são sempre bem-vindos.