Certidões de nascimento e óbito na Santa Casa BH

11/03/2014

     
(Foto: Almir Silva Gomes/GSCBH)

Com o objetivo de erradicar o sub-registro e ampliar o acesso da população à documentação básica, a Santa Casa BH ativou, em fevereiro, sua “Unidade Interligada de Registro Civil”, uma iniciativa do Conselho Nacional de Justiça criada com a finalidade de emitir certidões de nascimento nos estabelecimentos de saúde que dispõem de maternidades.

Os registros, gratuitos, são feitos dentro do próprio hospital através de um sistema informatizado interligado a cartórios de registro civil de Belo Horizonte. Pais e mães atendidos na maternidade Hilda Brandão, no 11º andar, têm agora a facilidade de deixar o hospital com o documento da criança em mãos.

A Unidade Interligada de Registro Civil da SCBH funciona no 1º andar do hospital (ala D), de segunda a sexta-feira, de 10 às 12 horas. Além da certidão de nascimento, em breve a Santa Casa BH emitirá também certidões de óbito, sendo o primeiro hospital de Minas Gerais a realizar este serviço.

Durante a cerimônia de inauguração do setor, no dia 17 de fevereiro, a Promotora de Justiça da Infância e Juventude de Belo Horizonte, Maria de Lurdes Rodrigues, destacou a importância da implantação da Unidade de Registro Civil na Santa Casa BH: “é a realização de um sonho que começou em 2007 e foi incentivado ao longo dos anos. Essa unidade contribuirá para ampliar e assegurar o exercício da cidadania”. O juiz auxiliar da Corregedoria Geral de Justiça, dr. Roberto Oliveira Araújo Silva, agradeceu a parceria que possibilitou a implantação da unidade e enfatizou a relevância do registro da certidão de óbito no hospital. “Nos unimos em prol do interesse comum e do bem social. Além da certidão de nascimento, a SCBH passa a oferecer o registro de óbito e fornece à família, em uma hora de fragilidade, um pouco de conforto e facilidade”, explicou.

Também estiveram presentes ao evento o superintendente de Assistência à Saúde do Grupo Santa Casa BH, dr. Guilherme Riccio, o gerente da Gerência de Fiscalização dos Serviços Notariais e de Registro da Corregedoria Geral de Justiça do TJMG, dr. Lácones Batista Vargas, a coordenadora da Política Pró-Criança e Adolescente da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social, Eliane Quaresma, e o registrador público do 1º Subdistrito de Belo Horizonte, José Augusto Silveira, além de coordenadores e gerentes de áreas assistenciais e administrativas do Grupo Santa Casa BH.

O estoquista Renato da Cruz Moreira foi o primeiro a registrar seu filho Miguel, nascido no mesmo dia na Santa Casa BH. “Achei ótimo poder fazer a certidão do meu filho no próprio hospital. Economizei tempo e não precisei ir ao cartório. Foi muito tranquilo”, completou. A menina Yasmin, nascida no dia anterior, foi registrada em seguida pelos pais Robson Muniz e Fernanda Almeida.