Santa Casa BH Ensino e Pesquisa promove estudos de nível internacional

22/05/2018

     

Com a chancela do maior hospital de Minas Gerais, pesquisadores, estudantes de mestrado, doutorado e pós-doutorado em treinamento na Santa Casa BH Ensino e Pesquisa (SCBH EP), sob supervisão de orientadores credenciados, desenvolvem atualmente 23 linhas de pesquisa que abrangem cerca de 170 projetos em diferentes fases de desenvolvimento, com potencial para revolucionar diversos campos da Medicina.

As pesquisas recebem apoio de agências de fomento governamentais como a Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (FAPEMIG), o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Alguns projetos também foram submetidos a organizações internacionais de financiamento independente, como National Institutes of Health (NIH) e Welcome Trust.

A escrita dos projetos de pesquisa passa por diversas etapas, desde a definição da linha de pesquisa pelo estudante e seu orientador, aprovação pelo Comitê de Ética e Pesquisa, captação de recursos para desenvolvimento, início dos experimentos, coleta de dados e processamento de resultados, submissão do artigo para publicação em revista com corpo editorial e circulação internacional, defesa de Dissertação ou Tese.  Essa é a sistemática do processo desde a definição da pergunta ou hipótese de trabalho até sua conclusão em um artigo publicado, que enseja a avaliação pela comunidade científica nacional e internacional.

São desenvolvidos projetos em diversas áreas da Medicina, como Endocrinologia, Proctologia, Cardiologia, Neurologia, Nefrologia, entre outros; e áreas da Biomedicina, como Biologia Molecular, Farmacologia, Farmacogenética, Imunologia e Toxinologia. Para o Dr. José Augusto Nogueira Machado, coordenador do Programa de Pós-graduação, os trabalhos concorrem em igualdade com pesquisas desenvolvidas em países reconhecidamente avançados.  “Em termos de Pesquisa Translacional, que tenta gerar conhecimentos para aplicação na Medicina, o SCBH EP está no nível das melhores instituições do mundo. Isso pode ser avaliado pelas revistas onde são publicados os artigos oriundos dos projetos desenvolvidos na instituição. Objetivamente, ao publicarmos nossos resultados, estamos competindo com pesquisadores internacionais e nos colocando à avaliação pelos nossos pares”, explica.

Reconhecimento internacional

É comum a publicação de artigos e resultados de pesquisas do SCBH EP em periódicos internacionais de grande prestígio junto à comunidade científica mundial. Recentemente, a convite, artigo assinado pelos pesquisadores Caroline Maria Oliveira Volpe, PhD, Pedro Henrique Villar-Delfino, Mestre em Biomedicina, Paula Martins Ferreira dos Anjos, Doutoranda, e pelo orientador, Dr. José Augusto Nogueira-Machado, PhD, ganhou as páginas edição nº 119 da Cell Death & Disease (publicação ligada à Revista Nature).

Com o título “Cellular death, Reactive Oxygen Species (ROS) and diabetic complications” (Morte celular, espécies reativas de oxigênio (ROS) e complicações diabéticas), o artigo discute o papel da hiperglicemia na morte celular como um dos fatores indutores das complicações diabéticas e sugere que o controle de vias de sinalização ativadas pela hiperglicemia poderia funcionar como alvos terapêuticos controlando a morte celular e, por extensão, amenizando as complicações diabéticas. O artigo pode ser lido integralmente no site www.nature.com.

Toxina de aranha com melhor potencial anestésico que a morfina

Uma das descobertas mais promissoras, e que mais se aproxima da obtenção de um produto para aplicação em seres humanos, ocorreu na área de Toxinologia. O pesquisador Marcus Vinicius Gomez e seu grupo isolaram uma fração do veneno da aranha Phoneutria negriventer (conhecida como aranha armadeira) com atividade anestésica superior àquela encontrada na morfina. Essa fração já se encontra em fase de registro de patente, com parceria de outras instituições, como a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a Fundação Ezequiel Dias (FUNED).

Outras pesquisas promissoras

Entre as pesquisas, várias se mostram com grande potencial. Entre elas, a proposição de sondas para uso em diagnóstico de doenças produzidas por fungos patogênicos, e o teste auxiliar na avaliação da predisposição à diabetes, são pesquisas que evoluirão para patentes. Além de outras, como Biomarcadores para a avaliação da evolução de tumores; Biomarcadores de doenças coronarianas; Bioinformática para uso em micologia; e Biomarcadores como auxiliares no diagnóstico preventivo em doenças renais e neurodegenerativas.