Santa Casa BHSão LucasSCBH Ensino e Pesquisa Funerária Santa Casa BHIGAPCEM


Diagnóstico e tratamento do fenômeno de Raynaud

11/04/2019

     

Em comemoração aos 120 anos de funcionamento (21 de maio), a Santa Casa BH inaugurou o ambulatório para diagnóstico e tratamento do fenômeno de Raynaud. Pioneiro em Belo Horizonte, o serviço conta com reumatologistas, médicos residentes e equipe de Enfermagem. O ambulatório realiza a capilaroscopia periungueal (exame crucial na avaliação do fenômeno). Associado à análise dos dados clínicos e laboratoriais, o procedimento permite classificar o fenômeno como primário, que ocorre em pessoas sem doenças associadas, ou secundário, quando outra doença é responsável pelo seu surgimento. Os atendimentos são realizados às terças-feiras, no Centro de Especialidades Médicas SCBH, em pacientes encaminhados pelos postos de saúde ou por meio de interconsultas de outras especialidades oferecidas na unidade.

O fenômeno de Raynaud é um problema da microcirculação que ocorre nas extremidades, principalmente nas mãos e pés. Caracteriza-se por palidez, seguida de cianose (roxidão) e, posteriormente, vermelhidão no local. As doenças reumáticas sistêmicas estão entre as principais causas do fenômeno de Raynaud secundário, como a esclerose sistêmica (esclerodermia), o lúpus e a artrite reumatóide. Quando muito acentuado, pode evoluir com úlceras dolorosas nas pontas dos dedos (“úlceras digitais”) e, mais raramente, com amputações.

De acordo com o coordenador do Serviço de Reumatologia da Santa Casa BH, Dr. Eduardo Souza, no frio os sintomas deste fenômeno pioram. “O tratamento envolve desde a mudança de estilo de vida, com a utilização de luvas e agasalhos ao uso de medicamentos vasodilatadores e curativos. O diagnóstico precoce, a identificação da causa e o acompanhamento regular são essenciais para evitar as complicações descritas”, explica.