Atualizado em: 26/01/2024 – 15:01:17

Ação foi promovida no último dia 23/1, em razão do Dia Internacional da Proteção de Dados, celebrado em 28/1

Em celebração ao Dia Internacional da Proteção de Dados, celebrado no próximo dia 28/1, a Santa Casa BH promoveu uma série de palestras sobre o tema voltadas para seus colaboradores. Uma delas, realizada na última terça-feira, 23/1, foi ministrada pelo Dr. Arthur Benício, Delegado de Polícia Titular da 1° Delegacia Especializada na Investigação de Crimes Cibernéticos (DEICC), que abordou a questão dos crimes cibernéticos.

Benício explicou que os golpes estão se tornando cada vez mais difíceis de serem identificados de forma imediata. Ele detalhou a engenharia social, uma técnica na qual imagens e informações são manipuladas para confundir o usuário, seguindo um ciclo de quatro fases: coleta de dados, interação, execução e saída.

Golpes desse tipo são bastante frequentes em redes sociais, sendo a falsa urgência o principal indicativo de engenharia social. Os golpistas se utilizam de falsas histórias com situações graves ou que exigem ação imediata, inventando pretextos, premiações, indenizações e supostas compras indevidas.

O delegado também ressaltou que o combate aos crimes cibernéticos é uma responsabilidade coletiva que requer a cooperação entre cidadãos e reforçou que “a prevenção é a melhor forma de proteção”. Dr. Arthur completou ainda que a tecnologia aliada à educação digital do usuário é fundamental para alcançarmos um ambiente digital mais seguro.

Ao final, o delegado enfatizou que mesmo tomando todos os cuidados ainda estamos suscetíveis a esses crimes. “Nesses casos, é necessário que a vítima recorra a uma unidade da polícia militar para registrar a ocorrência e, em casos que a investigação da polícia civil seja requerida, é preciso que a vítima regularize a representação”, finalizou.